quinta-feira, 30 de dezembro de 2010

Retrospectiva 2010.

Janeiro
Adoro Janeiro, pois é o mês da esperança, da renovação e do recomeço.

Fevereiro
Você deu início a sua vida escolar, foi muito sofrida no começo, mas depois que você se adaptou...amou.
Também mudamos de apartamento, isso sim, foi uma loucura, a reforma não havia acabado e nem pia de cozinha tínhamos, sofremos!!!!Mas valeu.

Março
Com quase dois anos e com a sua personalidade forte bem definida, já não gosta mais de tantos beijos e abraços, prefere ficar solto, brincando e correndo


Abril
O mês do se aniversário, só por esse motivo, já considero o mês mais lindo no calendário.


Maio
O mês das mães, e você aprendeu a brincar sozinho e começou a aproveitar o seu quarto e os seus brinquedos. Ahhh e não posso esquecer, foi quando você começou a falar.


Junho
A sua 1ª Copa do Mundo. O Brasil não foi campeão, mas valeu a torcida. Quem venceu foi a Espanha, e com certeza o vovô Maneco está muito feliz lá no céu!!!!


Julho
A sua 1ª Festa Julhina, a da esola você não gostou muito e até chorou, mas nessa festa você adorou estar caracterizado.


Agosto
Nós três comemorando o Dia dos Pais.

Setembro
Na Festa da Família, junto com a sua Professora tão querida e amada, Tia Naná. Sentiremos saudades....
Outubro
Todo feliz no Dia das Crianças, afinal ganhar presente é muito bom...Conheceu a Turma da Mônica e se apaixonou pelo Cebolinha, até briga com a Mônica-cabelo de banana por causa dele.


Novembro
O primeiro acidente, a primeira cirurgia e o primeiro grande susto para nós.



Dezembro
No dia do Papai Noel, que Natal esperado e desejado e enfim a chegada da Biciqueta Vemelha.



Bem filho, o seu Ano foi de uma maneira bem resumida assim.
Você sempre nos trazendo felicidade e ânimo nos nossos momentos mais difíceis e como tivemos momentos assim, quantas vezes chorei e me questionei se o que eu estava fazendo era o certo e perdi as contas de quantas vezes rezei pedindo paciência e sabedoria para aprender a lidar com as suas birras e tentar te educar da maneira certa.
De qualquer forma, sobrevivemos a tudo e estamos bem. Agora que venha 2011 e que seja um ano melhor para todos nós.
E para quem passa por aqui...Um Feliz 2011, repleto de Paz, Saúde e Harmonia.
Obrigada pelas visitinhas e até ano que vem.....









terça-feira, 28 de dezembro de 2010

O nosso Natal!!!





Nesse ano, resolvemos comemorar o Natal na casa da minha mãe, confesso que foi bastante triste e cheio de recordações, principalmente da minha infância e do meu pai.
Ficamos nós quatro: Eu, minha Mãe, o Marcelo e o Nícolas, que estava com muito sono e por isso, abrimos os presentes um pouco antes da meia noite e para completar não conseguimos tirar uma foto da família reunida, pois quando estava tudo pronto, o menino berrava e dizia foto não!!!! (fazer o quê???? - espero que no Ano Novo eu consiga).
Mas a alegria do Nícolas ao encontrar o presente tão desejado "biciqueta vemelha" foi indescritível, embora o Papai Noel tenha sido bastante generoso o enchendo de mimos....
O importante foi que passamos juntinhos, com muita saúde, com o coração cheio de amor e os pensamentos elevados e agradecendo a Deus por tudo.

video

domingo, 5 de dezembro de 2010

O desfralde


Desde que o Nícolas completou 2 anos e 6 meses decidi desfraldá-lo. Antes de começar o processo marquei um horário com a Tia Glau (psicóloga da escola e minha querida amiga) para que ela me orientasse nessa etapa já que eu tinha várias dúvidas e angústias em saber se esse era o momento certo e ao mesmo tempo se diante das outras crianças o desenvolvimento do Nícolas era normal, já que ele sempre demorou mais que as outras para: andar (só andou com 1ano e 1mês) e falar: (com 2 anos e 1 mês- o que me trouxe várias dúvidas e até procurei uma fono).
A conversa foi muito interessante, mas ao mesmo tempo muito dura, já que a Glau me fez perceber que o Nícolas já não é um bebê e portanto não deve ser tratado como tal, que ele na verdade é um menininho e que indiretamente a minha superproteção gera insegurança e desconforto e ele mais que ninguém consegue perceber isso. Fiquei triste e até chorei quando me vi nessa situação, mas depois, pensando melhor, percebi que ela tem razão e quando preciso tomar alguma decisão em relação ao meu filho me sinto insegura, aflita e com muito medo de errar (acho que sou muito egoísta), foi assim quando o coloquei na escola e sempre que percebo que ele terá que superar algum desafio e só me tranquilizo quando converso com outras mães e vejo que não sou a única a enfrentar e conflitos diários.
Depois de um tempinho conversando chegamos à conclusão de que ele estava preparado sim e que a partir da semana seguinte ele não usaria mais fraldas e foi o que aconteceu. Ele começou a ir à escola sem a fraldinha e durante a 1ª semana só fez xixi na roupa uma vez.
Depois durante a internação retornei com a fralda e imaginei que não conseguiria desfraldá-lo . Agora ele só usa a fralda noturna e quando está com vontade já sabe pedir e já o xixi e o cocô no peniquinho e às vezes na privadinha (como ele mesmo chama). agora já saímos de casa sem colocar a fralda e sempre pergunto se ele está com vontade e se estiver que é necessário pedir.
Um fato engraçado é que toda vez que o Nícolas encontra com o Drº Gustavo (o médico que operou o seu braço) ele já vai logo dizendo "quero xixi" rsrs.
Estou muito contente com o progresso do desfralde que já dura 1 mês e mais tranquila com a evolução do pequeno.

terça-feira, 30 de novembro de 2010

Bracinho de Centopéia.


Hoje fomos novamente à Clínica de Ortopedia para que o Drº Gustavo ( o único que eu não tive a vontade de esganar) examinasse o braço de centopéia do Nícolas. Conversamos muito e ele me explicou e tirou todas as dúvidas que ainda pairavam na minha cabeça. Nos tranquilizou bastante e garantiu que o braço do pequeno não ficará com sequelas e que a retirada dos fios se dará por meio de anestesia (cheirinho) no centro cirúrgico, mas que será feita por ele mesmo, o que com certeza, me deixou mais aliviada.
Os pontos estão quase sequinhos e talvez na próxima terça-feira sejam removidos e o papai já avisou que não terá coragem para assistir a retirada, então vai sobrar para a mamãe e a vovó rsrs.
O Nícolas já se sente familiarizado na clínica e quando o gesso foi retirado, ele já foi procurando a centopéia e as suas perninhas.O curativo foi refeito e colocado novo gesso.
Do resto está tudo indo e o Nícolas impossível, não fica quieto por um segundo, tanto que o gesso dele já estava todo quebrado e dessa vez foi necessário fazer um gesso mais reforçado e enquanto isso o meu coração vive em sobreaviso.
Beijoks e obrigada mais uma vez.

quarta-feira, 24 de novembro de 2010

Retorno ao ortopedista e desabafo....


Ontem retornamos à clínica do médico que operou o Nícolas. Ele novamente nos explicou sobre a cirurgia e a colocação dos fios de Kirchner (no caso do Nícolas, foram colocados 2) e que os mesmos seriam retirados sem anestesia e no consultório, o que ele nos garantiu que "seria uma dor só" e que era preferível, a ter que submetê-lo a outra cirurgia, anestesia, internação, recuperação, etc...
Conversei com ele à respeito da minha insatisfação em relação a postura da equipe de enfermagem, já que o Nícolas deveria ter ficado "no varal" (deitado e com a mão erguida) após a cirurgia e ninguém me orientou e por isso o braço dele ficou tão inchado, os dedos roxinhos e ele sentindo muita dor. Falei também que na segunda-feira o levei ao pediatra e esse passou antitérmico, analgésico e antibiótico e para finalizar falei a respeito da febre que estava persistente até ontem pela manhã.
Após inúmeras explicações e orientações, fomos finalmente para o raio x e a retirada do gesso. A cicatrização está ocorrendo normalmente e ao invés de 6 foram 8 pontos na horizontal , formando um T e uma cicatriz de uns 8 cm. O que eu estranhei e agora mais do que nunca tenho a certeza de que coração de mãe não se engana, é que eu vi os fios com os ganchinhos no raio x, mas no bracinho do Nícolas não consegui perceber as pontas(ganchinhos) dos tais fios.
O Nícolas ficou bem assustado ao perceber aqueles vários pontinhos pretos no braço e eu mais do que depressa falei "filho...olha que linda as perninhas da centopéia" e ele mais depressa ainda perguntou pela cabeça da penpopeia...mas deixa prá lá.
Quando o médico apareceu na sala de curativos, ficou olhando, olhando, olhando e eu muito desconfiada perguntei pelo tais ganchinhos e ele me disse que devido ao inchaço do braço, ele "entraram" - conforme o braço inchou, eles foram "cobertos" pelo tecido e que agora, talvez o Nícolas seja submetido à outra cirurgia a não ser que o seu organismo expulse os ganchinhos ( o que nós estamos na esperança que aconteça) e assim ele possa pinçá-los e retirá-los.
Na com os olhos cheios de água e uma dor enorme no peito só de pensar em outra cirurgia.
Foi feito outro curativo, colocamos novo gesso e terça retornaremos...
Quando cheguei em casa, chorei muito, mas depois pensei melhor e estou acreditando que nada é por acaso e que talvez essa cirurgia, se necessária, seja melhor para ele, assim tenho a certeza de que não haverá o risco da dor.
Estou mais tranquila até porque precisamos estar muito calmos para que o Nícolas não perceba que nem tudo foi tão bom como imaginavamos.
Agradeço de coração aos recadinhos recebidos e a paciência de vocês.
Beijoks!!!

domingo, 21 de novembro de 2010

Da queda à cirurgia.

Assim que chegamos
Mais conformado e com o amigo Júlio.

Prepardo para a cirurgia
Depois de algumas horas da cirurgia
Após a cirurgia e tomando um pouquinho de suco
Já estava cansado desse bendito varal.
Mas nada como quatro mãozinhas juntas.
Se preparando para voltar para casa

Os pais mortos e o filho querendo ir logo embora.

Na sexta feira enquanto eu terminava de arrumar e organizar a casa, o Nícolas e o pai foram brincar no SESC ( o que já virou rotina na vida dos dois). Depois de quase duas hora, o Marcelo me liga dizendo que o Nícolas havia caído de um brinquedo e eu logo imagino ...quebrou os dentes, abriu a cabeça ou qualquer coisa assim, mas o papai me tranquilizou dizendo que foi uma queda leve do 1º degrau da escada no escorregador e que ele havia machucado o braço. Pronto, larguei a casa no final da faxina, peguei o carro e quando lá cheguei está o pai mais triste que o filho e fomos até o hospital.Sempre o levo até o Pronto Socorro, mas naquele dia, optamos por levá-lo ao Hospital e consultarmos um ortopedista.
Pensei... agora vai colocar um belo de um gesso rsrsr.
Quando o médico olhou o braço esquerdo do meu filho, já disse "ele quebrou o braço" e eu com cara de espanto pergunto COMO? Mãe é só você observar que o bracinho dele está torto - realmente havia criado uma "barriga", Fomos fazer o Raio-X, mas algo me dizia que a notícia não seria muito boa, pois o médico começou a se movimentar. Quando saímos do Raio X, veio a notícia..Mãe ele quebrou o Rádio muito próximo ao pulso e o caso é cirúrgico. Me bateu um desespero e não contive as lágrimas, e o médico continuou então vamos operá-lo amanhã as 8:00 tudo bem???
Tudo bem, como tudo bem, não havia entendido nada, então com muita calma ele me explicou que nesses casos, quando há uma quebra e o osso se desloca é necessária a cirurgia ou uma "manobra" para colocar o osso no lugar. Ele disse que tentaria a manobra, mas que não acreditava no sucesso, pois ele só quebrou um dos ossos (quando se quebra os dois, por incrível que pareça é mais fácil). Então sem ter muitas escolhas internamos o pequeno e ligamos para o nosso sobrinho pedindo uma outra avaliação. Nosso amado Tarcísio chegou junto com a Pri, logo localizou um amigo que é chefe no setor de ortopedia de um outro hospital e eles me tranquilizaram dizendo que seria uma cirurgia bem simples, lógico que sabemos que existe riscos, mas pequenos.
Colocaram uma tala no pequeno e o internamos.
No sábado às 08:00 vieram buscar o meu filho, me senti impotente e pensando no que poderia acontecer, sempre com muita fé e pedindo a Deus que o protegesse, mas foi muito difícil...
Resumindo a cirurgia que deveria durar cerca de 30 minutos, durou 1h e meia e o meu pequeno ganhou dois fios no braço esquerdo, além que uma bela luva que ficará como companhia.
Assim que ele saiu do Centro Cirúrgico, pude ficar com ele, mas foi uma das cenas mais difíceis que presenciei (entreguei meu filho sorridente, acordado e acreditando que aquela camisola azul era a mais linda do mundo e o encontrei dormindo com os olhos entreabertos, babando e muito pálido), tentei ficar calma, mas chorei muito, então os médicos me explicaram que esse quadro era previsto e ele estava assim por conta da anestesia geral que ele havia tomado, mas que a cirurgia havia sido bem sucedida sem nenhum imprevisto e que infelizmente não conseguiram fazer a manobra desejada, então fizeram uma incisão . Além de tudo o Nícolas já terá uma cicatriz aos 2 anos e 7 meses (completados hoje). Não me incomodo com a marca, mas é difícil...
Passamos o dia por lá, aconteceram alguns imprevistos, mas acho que ainda não consigo falar e acabamos de ter alta e estamos em casa, eu e o pai "acabados" e ele todo feliz com o gesso e a tipóia. Na terça iremos até a clínica da equipe médica e faremos uma nova avaliação.
Por enquanto tudo dentro no normal, mas o médico já avisou que escola só no próximo ano e é incrível que o pequeno amou a notícia e falava a todo momento Escola, não só em casa com mamãe e papai.
Bem por enquanto é só!!!!!!

sábado, 13 de novembro de 2010

Tudo bem novamente....


Bem esses últimos dias foram de enorme aprendizado, com a doença e a melhora do Nícolas e depois com a doença da minha mãe, que ficou internada por conta de uma enxaqueca terrível, mas que agora também está bem, posso dizer que sobrevivi e aproveitei para pensar mais nas minhas atiudes e montar um plano de sobrevivência rsrsr.
O Nícolas tem se tratado com homeopatia e por enquanto tudo certo - dou as bolinhas e gotinhas no mesmo horário e ele até já pede.
A casa agora tem estado mais organizada, pois todos os dias tenho feito um pouquinho e antes de dormir faço uma geral, colocando tudo no seu devido lugar -ainda estou em fase de adaptação, mas acho que já tem dado resultado.
E eu??? Estou pronta para mais um desafio e tentando aprender com o que a vida tem para ensinar...
Agradeço de coração todos os carinhos recebidos e podem ter a certeza de que esses recadinhos me motivaram muito e pude perceber que no mundo das Mães somos muito parecidas e encontramos as mesma dificuldades...

segunda-feira, 1 de novembro de 2010

Dias melhores virão!!!



Estou precisando acreditar nessa frase para ver se tudo melhora.O Nícolas está doente desde quarta-feira. Na quinta o levei ao Pronto Socorro e pela 1ª vez ele ficou no repouso tomando soro (e eu fiquei ao lado dele desesperada, sem saber se o que estava fazendo era correto ou não), na sexta o levei ao pediatra e a história se repetiu - garganta inflamada e 5 injeções de antibiótico, já que via oral, o pequeno não aceita e vomita tudo), novamente surgiu a dúvida em aplicar as injeções ou não e optamos por aplicá-las, mas já procurei um homeopata e vou começar o tratamento, pois decidi que não quero mais fazer o meu filho passar por isso. Cada vez que chegamos à farmácia ele chora e repete inúmeras vezes "jeção não, memédio de boca, nenê toma!!!" ou então "tio teio (feio), jeção nenê não". Estamos no quarto dia e parece que falta uma eternidade.
O feriado está chegando ao fim e parece que trabalhei todos esses dias como se não houvesse parado nem para comer; a casa vive de pernas para o ar, não dou conta de tudo e me sinto muito incapaz por isso, as roupas parecem que germinam no cesto de lavar e brotam no de passar, as vezes acho que temos mais roupas do que precisamos ou que qualquer dia não teremos uma peça passada para vestirmos, tento me organizar, mas confesso que nunca consigo.
Para piorar a situação, as vezes não tenho vontade de fazer nada e o Nícolas está numa fase de birras e teimosias, chora por tudo, pede tudo e não finaliza nada, antes de realizar o último desejo já está chorando pelo próximo. Tenho me sentido muito angustiada, mas sei que não posso desanimar.
E para finalizar, amanhã é um dia muito triste, pois me lembro muito e ainda sofro bastante pela partida do meu pai, parece que não passa nunca e ainda me entristeço muito com tudo isso. Mas tenho a esperança e a certeza de que tudo vai passar bem rapidinho e que logo logo estaremos novinhos para superarmos outra dificuldade, pois ser mãe é não desistir nunca!!!

terça-feira, 26 de outubro de 2010

Mais um anjinho no céu...


Assim como tenho feito todos os dias na hora do almoço, hoje vim até aqui para saber notícias do querido Theo e de sua mamãe Aline e descobri que ele já está no céu.
Não gostaria de falar em luto ou de chorar, mas isso é impossível, mesmo não os conhecendo, me emocionei, chorei, pedi e rezei por eles, assim como tenho a ceteza de que muitas de nós fizemos.
Só posso mandar orações e pedir que Deus conforte o coração dessa mãe e dessa família.
Theo fique em bons braços e Aline, que você tenha muita força ao longo de sua vida.
Fiquem com Deus.

segunda-feira, 25 de outubro de 2010

Um mascote para chamar de meu!!!!


A escolinha lançou um projeto que eu achei bárbaro, trata-se da escolha e confecção de um mascote, que no caso da turminha do Nícolas foi de um cachorro. A professora confeccionou e os alunos encheram de manta acrílica, ou melhor, deram vida ao mascote. O mascote vai para casa de cada aluno e lá permanece por um dia e todas as observações são anotadas num diário pelos pais, para que as informações sejam divulgadas para os amiguinhos no dia seguinte.
Na quinta-feira foi o dia do Nícolas trazer o cachorro Au-au, isso mesmo, Au-au era o seu nome (que foi escolhido por unanimidade pela turminha) e eu muito insensível demorei um bom tempo para entender que Au-au era o nome do bichinho.
Bem, o Au-au ficou conosco desde quinta até ontem e foi maravilhoso...o Nícolas ficou apaixonado e eu expliquei que ele deveria tratá-lo com amor, carinho e respeito, dar comida e água, e o pequeno levou tudo ao pé da letra. Ligou para a minha mãe e pediu ração (minha mãe tem uma boxer, chamada Costelinha), quando a comida chegou foi uma farra, até que o Nícolas provou da ração e quando eu tirei da boca dele foi um escândalo, então expliquei que ração é só para animais...depois de muito choro ele entendeu. Todos que aqui chegavam, já eram logo apresentados para o Au-au tornou-se membro da família rsrsr).
O cachorro foi para todo lado e só não tomou banho, porque eu consegui salvá-lo a tempo. De tanto apertar e agarrar o coitado a orelha esquerda acabou caindo, aí entrou em ação a mãe-enfermeira, expliquei que a orelha tinha caído, portanto o Au-au precisava de cuidados médicos e que eu iria costurá-la, enquanto eu costurava, o pequeno fazia carinho no bichinho e dizia para ele não chorar (foi uma graça!!!!) e quando terminei o Au-au ganhou até band-aid.
A única dificuldade foi em fazer aceitá-lo que o Au-au seria devolvido, ele chorou muito e só consegui enfiá-lo no saquinho, quando o Nícolas adormeceu.
Foi uma experiência incrível, adoramos e eu tive a oportunidade de reviver a minha infância, pois quando pequena, meus pais tinham comércio e nós morávamos na parte de cima, então todos os bichos abandonado que por lá apareciam, nós adotavamos (sempre fui criada com bichos), mas na maioria das vezes, eles morriam atropelados, então sofriamos muito, mas meus pais sempre deixaram que eu e a minha irmã tivessemos bichos: gatos, cachorros e até um gambá....
Acho muito importante a convivência com animais e quem sabe o Nícolas ganha um bichinho também.

terça-feira, 12 de outubro de 2010

Semana da Criança na escola.







Essa semana foi de comemoração geral. A semana inteira foi de festa e a comemoração foi baseada nos contos infantis (que eu amo) .
Cada dia da semana foi explorado um conto diferente, com direito a personagens e lembrancinhas personalizadas de acordo com o tema. a de sexta feira foi maravilhosa (um cavalinho feito de garrafa pet e cabo de vassoura - nunca tinha visto)que foram feitas com tanto capricho e amor -fico impressionada com o talento e delicadeza das Professoras do Nícolas e na sexta feira para finalizar houve o baile dos Príncipes e Princesas. Fiquei na espectativa pensando em como caracterizar o pequeno e no final, a minha mãe colocou a mão na massa e confeccionou a fantasia e o melhor foi que o Nícolas curtiu muito, ficou bem quietinho para experimentar a roupa e no dia queria olhar o espelho a todo momento. Tenho certeza que ele amou, pois a fantasia voltou aos pedaços (toda rasgada rsrsr) e eu pensei "deixei um Príncipe e busquei um sapo!!!" mas é claro que eu não me incomodei, muito pelo contrário fico muito feliz em vê-lo na escola participando da festa e interagindo com os amigos.

quinta-feira, 7 de outubro de 2010

Em breve...mais uma Mamãe.


Essa é a melhor notícia que poderia ter recebido. Na segunda feira, fiquei sabendo que a madrinha do Nícolas (minha amiga-irmã) está gravidíssima. Ela ficou em choque (porque não esperava), mas não menos feliz que todas nós que já tivemos o privilégio do tão esperado positivo. E eu??? Estou muito feliz com a chegada desse bebê que já é muito amado e pelo palpite do Nícolas será uma meninnha!!!
Amiga te amo muito e sei que esse bebê nos trará muitas felicidades.
Parabéns!!!!

quinta-feira, 23 de setembro de 2010

Domingo em Família.

Nós e o amado Doki
Alguns momentos durante as atividades desenvolvidas na Exploração Discovery Kids

Brincando no Shopping

No último domingo fomos até São Paulo, almoçamos no Shopping Morumbi e visitamos o Exploração Discovery Kids, principalmente o amado Doki (que cachorrinho apaixonante), tudo bem que foi uma maratona, mas valeu a pena.
Chegamos lá por volta das 13:30 e só conseguimos ingresso para as 19:30. Assim que entrei na fila o rapaz avisou que só teria ingresso para mais 10 pessoas. Portanto foi uma sorte incrível termos conseguido.
Aproveitamos o tempo livre para passearmos e nos divertimos, mas é claro que o ponto alto foi a hora de conhecer e fotografar com o Doki, o Nícolas ficou simplesmente encantado e nós adoramos.
O pequeno estava tão cansado que voltou dormindo e ao chegar em casa acordou para tomar mamadeira e capotou rsrsr.
É muito bom aproveitar o dia com a nossa família - Amo muito tudo isso.

quarta-feira, 15 de setembro de 2010

Num piscar de olhos.


Antes de me tornar mãe, algumas amigas que já tinham os seus filhos me diziam o quanto o tempo passa rápido. Na verdade, não conseguia compreender muito bem esse desabafo que soava quase como uma queixa, até por acreditar na lei natural da vida e na sequência cronológica de tudo.
Com o nascimento do Nícolas e agora que ele já está com 2 anos e quase 5 meses, entendo perfeitamente essa colocação e percebo que ele está crescendo como num piscar de olhos.
Agora percebo que as mães falam do tempo do coração e de como eles crescem, se modificam, tornam-se independentes e nós cada vez mais, ficamos na retaguarda, sempre esperando a hora certa de acolhermos e ajudarmos os nossos filho.
É muito interessante como na memória as lembranças do descobrimento da gravidez, da gestação e do seu nascimento ainda é clara e efetiva - parece que foi ontem. A única coisa que não me recordo muito bem é das dificuldades enfrentadas durante a gravidez, acredito que o tempo se encarrega de apagar os maus momentos de nossas vidas.
Hoje tenho me questionado muito em relação ao tempo e de como tudo tem passado tão rápido. Os dias parecem que não rendem e muitas vezes me vejo frustrada por não poder fazer tudo o que planejo, principalmente com o Nícolas. Nessas últimas semanas tenho trabalhado mais que nunca e quando percebo, estou tão envolvida com as tarefas de casa/escola que nem consigo sair e dar um passeio com o meu filho tão amado.
Estou tentando me organizar e fazer com que na nossa rotina também tenha um espaço para podermos passear e brincar. Algumas pessoas dizem que o importante é a qualidade do tempo e não a quantidade, mas eu acredito que quantidade com qualidade é o ideal sim, então, vou começar rever os meus conceitos. É incrível, pois agora, só trabalho meio período, e mesmo assim ainda não consigo me organizar.
Espero que logo essa fase passe, pois assim conseguirei ser a mãe que tanto sonhei e que o meu filho merece.

sexta-feira, 10 de setembro de 2010

A saga da chupeta...


O Nícolas sempre chupou chupeta, desde o nascimento até agora. Ao questionar à dentista do sobre o uso da chupeta, ela me explicou que até os dois anos é permitido, desde que seja uma chupeta de boa qualidade e ortodôntica. Na última consulta, ela já me recomendou que eu tirasse a chupeta do pequeno, pois já estava influenciando na mordida (está ficando aberta), disse que não é nada sério, mas quanto antes ele deixar de usá-la,melhor será. Ainda não consegui tirá-la totalmente,na escola ele não usa, a não ser na entrada, mas de acordo com a professora, ele mesmo guarda a chupeta e o paninho na mochila e ao dormir, ele mesmo a tira da boca, mas durante o dia, caso esteja em casa, o trio está completo: Nícolas, chupeta e paninho.
Bem, sempre ouvi falar que as mães quase enlouquecem quando as amadas chupetas rasgam ou simplesmente somem do alcançe de seus filhos. E, é lógico que aqui em casa não foi diferente...
Na semana passada, ao buscar o Nícolas na escola, percebi que ele estava triste e com os olhos cheios de lágrimas e quando perguntei o que havia acontecido ele me disse "tetê rasgo" (a chupeta rasgou).
O coloquei no carro e expliquei que ele ficaria sem a tetê, pois não havia outra naquele mometno e ele teria que esperar para comprarmos uma nova. Ele chorou, esperneou, fez escândalo e acabamos parando numa loja e comprando não só uma, mas três chupetas.
O show foi tanto que ele mal esperou a vendedora (toda penalizada e morrendo de dó) tirar a querida tetê da embalagem, já a colocou direto na boca e ficou feliz da vida!!!
Voltamos para casa e eu expliquei que ele não podia rasgar as chupetas e que caso ele o fizesse, não compraria outra....resumindo: no mesmo dia rasgou duas e na última terça-feira acabou com a terceira, fora as outras duas antigas.Ele consegue rasgá-las no dente, morde as coitadinhas com tanto gosto que parece que um ratinho andou por ali.
Pensei, pensei e pensei e descobri que ser mãe é ser um pouco de tudo e mudei o meu discurso. Ao invés de dizer que não compraria mais chupetas, disse que: se você ragá-las, ficará pensando . E para a minha surpresa, qual foi a atitude da criaturinha - mesmo com as chupetas rasgadas, ele não reclama e quando eu pergunto: - Filho, você rasgou a chupeta ou a chupeta está rasgada? Prontamente vem a resposta "Não mamãe, nenê não rasgo...."rsrsr
Qual foi o meu aprendizado, falar não somente para o necessário e perceber que o meu pequeno já entende o que é certo ou errado (dentro dos limites de uma criança de dois anos, é claro) e ficar espantada com a sua esperteza. Que menino levado rsrsrs.

segunda-feira, 2 de agosto de 2010

Fim de Férias e Início das aulas...


E assim foi o nosso último fim de semana em casa, eu, você, papai e muitas vezes a vovó e os primos, mas agora já estamos de volta a nossa rotina e foi melhor do que eu esperava.
Hoje, você acordou muito bem, cheio de soninho e pedindo carinho- nada mais natural, nos arrumamos e fomos para à escola, eu e você.
Quando te tirei do carro e você viu o tio Hugo, já abriu um largo sorriso e foi para o colo do tio e nem olhou para trás. E eu??? pensei. Fui lá e te beijei, abracei e disse um bom dia e seja bonzinho na escola, com o coração apertado. Vai entender coração de mãe, se chora é porque chora e está infeliz e se está feliz e não chora é porque não percebe a minha partida... (que loucura).
Mas antes assim , tudo tranquilo e voltando à nossa querida rotina.

domingo, 1 de agosto de 2010

Menos levado do que parece...

Feliz da vida no carrinho monopolizado por ele.

Ontem, fomos ao Aniversário da Chiara ou Quiqui como o próprio Nícolas diz (uma coleguinha de escola), a festa foi linda e os pais da Quiqui extremamente atenciosos e gentis.
Foi uma ótima oportunidade para que o Nícolas reencontrasse os amigos já que as aulas retornam amanhã e o meu coração já está pulando cheio de dúvidas e incertezas (será que ele irá chorar? Vai acordar no horário? Fará birra?...) e para que eu pudesse ter contato com as mães de seus coleguinhas, pois na verdade não conheço quase ninguém.
Logo que comecei a arrumá-lo, senti uma pontinha de esperança e percebi que o pequeno estava bem, ficou arrumadinho assistindo ao Hi-5 esperando que eu me aprontasse, assim que chegamos ao Buffet, ele já pegou o zente da Quiqui (presente da Quiqui) e seguiu todo faceiro que só, entregou o pacote com todo o carinho à recepcionista e correu para abraçar e beijar a aniversariante e sua mãe - nossa, como se senti aliviada e feliz, daí por diante, só quis brincar e se divertir (andou no carrossel até cansar, foi à piscina de bolinhas -entrava, saía, colocava e tirava a sandália num piscar de olhos, andou num dragão (tipo barco Viking) por 3 vezes e ficou apaixonado por um carrinho - o da foto, quando o carrinho parava de se movimentar, ele não tinha dúvida, levantava e apertava o botão para o que o movimento retornasse), comeu coxinha até dizer chega, não esquecendo da pipoca e do suco, brincou tanto que dormiu no carro, assim que o coloquei no cadeirão.
Quase não tirei fotinhas, pois ele não parava por um minuto.
Tive a oportunidade de conversar muito com 4 mães e chegamos a conclusão de que a fase deles é realmente essa: a das birras, choros e mal criações sempre que são contrariados e não fazemos o que eles querem. Fiqui muito aliviada, pois ultimamente tenho me questionando muito quanto o comportamento do Nícolas e a educação que tenho dado a ele. Em casa, sozinho, ele é um doce, mas quando chega visita, ele pula, corre, grita, desmonta o quarto e quando não lhe dão atenção, deita no chão e chora, no fundo sei que tudo isso é pertinente a idade, mas o que me machuca são os comentários indelicados que ouço por parte de algumas pessoas da família do meu marido, cheguei a ouvir o absurdo de que "Você já conversou com o pediatra sobre agitação desse menino? Pergunte se não pode dar algum calmante, pois ele é muito levado". ou então, depois de apertarem, beijarem e babarem o pequeno ao extremo, ele se aborrecer e beliscar a pessoa como se estivesse descontando "Nossa, como ele é malzinho... e ruinzinho, tem um gênio..., nos belisca mesmo.." e ontem pude perceber que ele não é tão levado quanto dizem, pois se comportou muito bem e quando foi mordido por uma coleguinha (já que ele monopolizou o carrinho e não deixava ninguém dirigí-lo por muito tempo), disse "mamãe, Isi modeu, não pode..feio hahahahhah) mostrando com gestos (mordendo o próprio braço) e falando que a Isis tenha mordido e que não podia, pois era feio, já pensei ..agora ele vai bater, chorar, morder e espernear e ao contrário ele mostrou a mordida, reclamou com a amiguinha, mas logo a beijou e abraçou e tudo ficou bem.
Só chorou na hora do Teatro de Marionetes e como sempre não participou do Parabéns, mas concordo que já estou querendo muito.
Então conclui que... O Nícolas é levado sim, mas nada que fuja a regra de boa convivência e adaptação e aprendi que nem sempre devemos nos preocupar com os comentários alheios, pois cada criança tem a sua própria maneira de ser e devemos respeitar a individualidade de cada um. Foi uma lição em tanto que tive ontem!!!!

quarta-feira, 21 de julho de 2010

Retomando.







Hoje o meu filho completa 2 anos e 3 meses de idade, nossa...quanta alegria e descobertas.
Estava bem afastada do blog, mas é que a vida está uma correria só. Embora esteja de férias desde o dia 1º, parece que o tempo está ficando cada vez mais curto para dar conta de tudo: casa, marido, filo, almoço, roupa, etc...
Bem , nessas férias não fizemos nada de especial, eu só aproveitei para organizar todas as pendências e curtir bastante o pequeno, que por sinal está uma figura: já começou a falar (para o meu alívio), as palavras ainda são enroladas, mas do seu jeitinho já está construimdo frases, conta até dez, reconhece as letras do alfabeto e as formas geométrica, emite o som de alguns animais e adora bagunçar, faz uma verdadeira farra com os brinquedos, embora tenha muita dificuldade em emprestá-los;
Na semana passada fomos à festa da Duda e o tema foi Festa Julhina, então fomos bem enfeitadinhos, mãe filhos formando um verdadeiro casal de caipirinhas.
Também começamos a andar de bicicleta na orla, o Nícolas para passear e eu e o marido para tentarmos emagrecer, mas tá difícil!!!
E para completar, recebemos a visita da amiguinha Sofia aqui em casa - tadinha, como a pequena sofreu e até chorou, já que o Nícolas não emprestava nenhum brinquedo e os que ela conseguia pegar ele ia e tomava da mão dela (conversei muito com ele e expliquei que ele deveria emprestar todos os brinquedos e saber dividí-los e qual era a resposta ao final de cada argumento: Nããããããããããõ - haja paciência e pedagogia).
Do resto está tudo ótimo, ontem o levei ao pediatra e ele está com 15 kg e 96 cm.
Filho, feliz mesversário!!! Te amo mais que tudo e como eu já ouvi antes "ser mãe, é ter para sempre o coração fora do corpo"

segunda-feira, 28 de junho de 2010

1ª Festa Junina.

Na entrada da festa
A única foto com a mamãe (muito bravo, por sinal)

Com a Tia Rosângela (coordenadora da mamãe)

Com o amiguinho Rafael

Nícolas e a sua querida professora - Tia Naná
Com as tias, o primo e a vovó
O amado Tio Hugo
Com a amiguinha Chiara - a Quiqui. No começo estava muito amável, mas depois que a Quiqui comeu um pouco da sua pipoca, acabou a amizade.
E a melhor hora...a de ir embora.

No sábado, fomos à Festa Junina na escola do Nícolas. Todos da família estavam ansiosos e empolgados (embora eu, estivesse apreensiva com a postura do pequeno).
Convidamos as tias: Jaira, Cida e Lena; a prima Roberta e o amado primo Tarcísio, além da vovó. O papai não pode ir pois estava trabalhando. O Nícolas acordou cedo, mamou, brincou e se arrumou muito lindo, colocou a roupa e se sentiu todo importante, a pintura ficou por conta da tia Jaira que com toda a paciência, conseguiu fazer o bigode e as costeletas.
Quando chegamos ao salão ele foi logo para o colo do primo e de lá não saiu mais, a não ser para comer pipoca e brincar um pouquinho com o amiguinho Rafael. Na hora da dança, como eu já imaginava, não quis participar, na verdade nem queria sair do colo do primo, mas após muita insistência veio comigo e eu o levei até o centro da festa, onde ele começou a chorar, então, eu prontamente já percebi que era o seu limite e o tirei daquela situação. Sei que não recebi a aprovação de todos, mas para ser muito sincera naquele momento não estava preocupada com a opinião de ninguém, o que eu realmente queria era preservar o meu filho e respeitar a sua decisão, pois apesar de ter somente dois anos, já sabe o que quer e naquele momento não queria dançar e não dançou. Com certeza outras festas virão....
Ele ficou no colo do primo e assistiu a dança dos amigos. Terminada a dança de sua sala fomos embora e aí sim, vi o meu filho feliz, já do lado de fora sorriu, brincou, foi ao colo do Tio Hugo (porteiro da escola) que ele tanto adora e que por sinal é um amor de criatura (muito atencioso e paciente) e para finalizar, encontrou a amiguinha Chiara que ele carinhosamente chama de QUIQUI.
Fomos levar a vovó em casa e voltamos, o pequeno dormiu bastante e à noite fomos comer pizza e nos divertimos muito com os comentários da 1ª Festa Junina...
O que eu aprendi com isso???? Que o meu filho deve ser respeitado e que, eu como mãe preciso saber o momento de recuar e protegê-lo, afinal ele já "cresceu e amadureceu" tanto. Em outros tempos, nem no salão ele entraria, já que estava cheio de pessoas estranhas e com um som de ensurdecer qualquer um.