sexta-feira, 10 de setembro de 2010

A saga da chupeta...


O Nícolas sempre chupou chupeta, desde o nascimento até agora. Ao questionar à dentista do sobre o uso da chupeta, ela me explicou que até os dois anos é permitido, desde que seja uma chupeta de boa qualidade e ortodôntica. Na última consulta, ela já me recomendou que eu tirasse a chupeta do pequeno, pois já estava influenciando na mordida (está ficando aberta), disse que não é nada sério, mas quanto antes ele deixar de usá-la,melhor será. Ainda não consegui tirá-la totalmente,na escola ele não usa, a não ser na entrada, mas de acordo com a professora, ele mesmo guarda a chupeta e o paninho na mochila e ao dormir, ele mesmo a tira da boca, mas durante o dia, caso esteja em casa, o trio está completo: Nícolas, chupeta e paninho.
Bem, sempre ouvi falar que as mães quase enlouquecem quando as amadas chupetas rasgam ou simplesmente somem do alcançe de seus filhos. E, é lógico que aqui em casa não foi diferente...
Na semana passada, ao buscar o Nícolas na escola, percebi que ele estava triste e com os olhos cheios de lágrimas e quando perguntei o que havia acontecido ele me disse "tetê rasgo" (a chupeta rasgou).
O coloquei no carro e expliquei que ele ficaria sem a tetê, pois não havia outra naquele mometno e ele teria que esperar para comprarmos uma nova. Ele chorou, esperneou, fez escândalo e acabamos parando numa loja e comprando não só uma, mas três chupetas.
O show foi tanto que ele mal esperou a vendedora (toda penalizada e morrendo de dó) tirar a querida tetê da embalagem, já a colocou direto na boca e ficou feliz da vida!!!
Voltamos para casa e eu expliquei que ele não podia rasgar as chupetas e que caso ele o fizesse, não compraria outra....resumindo: no mesmo dia rasgou duas e na última terça-feira acabou com a terceira, fora as outras duas antigas.Ele consegue rasgá-las no dente, morde as coitadinhas com tanto gosto que parece que um ratinho andou por ali.
Pensei, pensei e pensei e descobri que ser mãe é ser um pouco de tudo e mudei o meu discurso. Ao invés de dizer que não compraria mais chupetas, disse que: se você ragá-las, ficará pensando . E para a minha surpresa, qual foi a atitude da criaturinha - mesmo com as chupetas rasgadas, ele não reclama e quando eu pergunto: - Filho, você rasgou a chupeta ou a chupeta está rasgada? Prontamente vem a resposta "Não mamãe, nenê não rasgo...."rsrsr
Qual foi o meu aprendizado, falar não somente para o necessário e perceber que o meu pequeno já entende o que é certo ou errado (dentro dos limites de uma criança de dois anos, é claro) e ficar espantada com a sua esperteza. Que menino levado rsrsrs.

2 comentários:

vanessa disse...

oi amiga ...
graças a Deus o gui largou a chupeta e o paninho com bordado ingles pra minha sorte .. Não aguentava mas proucurar chupeta pela casa ... bjos boa sorte ...

Andrea disse...

Menina,
Não é que o meu Nícolas também acabou de rasgar uma de suas chupetas? Como eu não consegui encontrar a outra, ele dormiu com a chupeta rasgada mesmo, e fazia um som esquisito que dava vontade de rir. Acho que vou começar a esconder as chupetas, afinal ele vai fazer 2 anos no próximo mês.Vou ver se a minha tática dá certo.