quinta-feira, 23 de setembro de 2010

Domingo em Família.

Nós e o amado Doki
Alguns momentos durante as atividades desenvolvidas na Exploração Discovery Kids

Brincando no Shopping

No último domingo fomos até São Paulo, almoçamos no Shopping Morumbi e visitamos o Exploração Discovery Kids, principalmente o amado Doki (que cachorrinho apaixonante), tudo bem que foi uma maratona, mas valeu a pena.
Chegamos lá por volta das 13:30 e só conseguimos ingresso para as 19:30. Assim que entrei na fila o rapaz avisou que só teria ingresso para mais 10 pessoas. Portanto foi uma sorte incrível termos conseguido.
Aproveitamos o tempo livre para passearmos e nos divertimos, mas é claro que o ponto alto foi a hora de conhecer e fotografar com o Doki, o Nícolas ficou simplesmente encantado e nós adoramos.
O pequeno estava tão cansado que voltou dormindo e ao chegar em casa acordou para tomar mamadeira e capotou rsrsr.
É muito bom aproveitar o dia com a nossa família - Amo muito tudo isso.

quarta-feira, 15 de setembro de 2010

Num piscar de olhos.


Antes de me tornar mãe, algumas amigas que já tinham os seus filhos me diziam o quanto o tempo passa rápido. Na verdade, não conseguia compreender muito bem esse desabafo que soava quase como uma queixa, até por acreditar na lei natural da vida e na sequência cronológica de tudo.
Com o nascimento do Nícolas e agora que ele já está com 2 anos e quase 5 meses, entendo perfeitamente essa colocação e percebo que ele está crescendo como num piscar de olhos.
Agora percebo que as mães falam do tempo do coração e de como eles crescem, se modificam, tornam-se independentes e nós cada vez mais, ficamos na retaguarda, sempre esperando a hora certa de acolhermos e ajudarmos os nossos filho.
É muito interessante como na memória as lembranças do descobrimento da gravidez, da gestação e do seu nascimento ainda é clara e efetiva - parece que foi ontem. A única coisa que não me recordo muito bem é das dificuldades enfrentadas durante a gravidez, acredito que o tempo se encarrega de apagar os maus momentos de nossas vidas.
Hoje tenho me questionado muito em relação ao tempo e de como tudo tem passado tão rápido. Os dias parecem que não rendem e muitas vezes me vejo frustrada por não poder fazer tudo o que planejo, principalmente com o Nícolas. Nessas últimas semanas tenho trabalhado mais que nunca e quando percebo, estou tão envolvida com as tarefas de casa/escola que nem consigo sair e dar um passeio com o meu filho tão amado.
Estou tentando me organizar e fazer com que na nossa rotina também tenha um espaço para podermos passear e brincar. Algumas pessoas dizem que o importante é a qualidade do tempo e não a quantidade, mas eu acredito que quantidade com qualidade é o ideal sim, então, vou começar rever os meus conceitos. É incrível, pois agora, só trabalho meio período, e mesmo assim ainda não consigo me organizar.
Espero que logo essa fase passe, pois assim conseguirei ser a mãe que tanto sonhei e que o meu filho merece.

sexta-feira, 10 de setembro de 2010

A saga da chupeta...


O Nícolas sempre chupou chupeta, desde o nascimento até agora. Ao questionar à dentista do sobre o uso da chupeta, ela me explicou que até os dois anos é permitido, desde que seja uma chupeta de boa qualidade e ortodôntica. Na última consulta, ela já me recomendou que eu tirasse a chupeta do pequeno, pois já estava influenciando na mordida (está ficando aberta), disse que não é nada sério, mas quanto antes ele deixar de usá-la,melhor será. Ainda não consegui tirá-la totalmente,na escola ele não usa, a não ser na entrada, mas de acordo com a professora, ele mesmo guarda a chupeta e o paninho na mochila e ao dormir, ele mesmo a tira da boca, mas durante o dia, caso esteja em casa, o trio está completo: Nícolas, chupeta e paninho.
Bem, sempre ouvi falar que as mães quase enlouquecem quando as amadas chupetas rasgam ou simplesmente somem do alcançe de seus filhos. E, é lógico que aqui em casa não foi diferente...
Na semana passada, ao buscar o Nícolas na escola, percebi que ele estava triste e com os olhos cheios de lágrimas e quando perguntei o que havia acontecido ele me disse "tetê rasgo" (a chupeta rasgou).
O coloquei no carro e expliquei que ele ficaria sem a tetê, pois não havia outra naquele mometno e ele teria que esperar para comprarmos uma nova. Ele chorou, esperneou, fez escândalo e acabamos parando numa loja e comprando não só uma, mas três chupetas.
O show foi tanto que ele mal esperou a vendedora (toda penalizada e morrendo de dó) tirar a querida tetê da embalagem, já a colocou direto na boca e ficou feliz da vida!!!
Voltamos para casa e eu expliquei que ele não podia rasgar as chupetas e que caso ele o fizesse, não compraria outra....resumindo: no mesmo dia rasgou duas e na última terça-feira acabou com a terceira, fora as outras duas antigas.Ele consegue rasgá-las no dente, morde as coitadinhas com tanto gosto que parece que um ratinho andou por ali.
Pensei, pensei e pensei e descobri que ser mãe é ser um pouco de tudo e mudei o meu discurso. Ao invés de dizer que não compraria mais chupetas, disse que: se você ragá-las, ficará pensando . E para a minha surpresa, qual foi a atitude da criaturinha - mesmo com as chupetas rasgadas, ele não reclama e quando eu pergunto: - Filho, você rasgou a chupeta ou a chupeta está rasgada? Prontamente vem a resposta "Não mamãe, nenê não rasgo...."rsrsr
Qual foi o meu aprendizado, falar não somente para o necessário e perceber que o meu pequeno já entende o que é certo ou errado (dentro dos limites de uma criança de dois anos, é claro) e ficar espantada com a sua esperteza. Que menino levado rsrsrs.