terça-feira, 30 de novembro de 2010

Bracinho de Centopéia.


Hoje fomos novamente à Clínica de Ortopedia para que o Drº Gustavo ( o único que eu não tive a vontade de esganar) examinasse o braço de centopéia do Nícolas. Conversamos muito e ele me explicou e tirou todas as dúvidas que ainda pairavam na minha cabeça. Nos tranquilizou bastante e garantiu que o braço do pequeno não ficará com sequelas e que a retirada dos fios se dará por meio de anestesia (cheirinho) no centro cirúrgico, mas que será feita por ele mesmo, o que com certeza, me deixou mais aliviada.
Os pontos estão quase sequinhos e talvez na próxima terça-feira sejam removidos e o papai já avisou que não terá coragem para assistir a retirada, então vai sobrar para a mamãe e a vovó rsrs.
O Nícolas já se sente familiarizado na clínica e quando o gesso foi retirado, ele já foi procurando a centopéia e as suas perninhas.O curativo foi refeito e colocado novo gesso.
Do resto está tudo indo e o Nícolas impossível, não fica quieto por um segundo, tanto que o gesso dele já estava todo quebrado e dessa vez foi necessário fazer um gesso mais reforçado e enquanto isso o meu coração vive em sobreaviso.
Beijoks e obrigada mais uma vez.

quarta-feira, 24 de novembro de 2010

Retorno ao ortopedista e desabafo....


Ontem retornamos à clínica do médico que operou o Nícolas. Ele novamente nos explicou sobre a cirurgia e a colocação dos fios de Kirchner (no caso do Nícolas, foram colocados 2) e que os mesmos seriam retirados sem anestesia e no consultório, o que ele nos garantiu que "seria uma dor só" e que era preferível, a ter que submetê-lo a outra cirurgia, anestesia, internação, recuperação, etc...
Conversei com ele à respeito da minha insatisfação em relação a postura da equipe de enfermagem, já que o Nícolas deveria ter ficado "no varal" (deitado e com a mão erguida) após a cirurgia e ninguém me orientou e por isso o braço dele ficou tão inchado, os dedos roxinhos e ele sentindo muita dor. Falei também que na segunda-feira o levei ao pediatra e esse passou antitérmico, analgésico e antibiótico e para finalizar falei a respeito da febre que estava persistente até ontem pela manhã.
Após inúmeras explicações e orientações, fomos finalmente para o raio x e a retirada do gesso. A cicatrização está ocorrendo normalmente e ao invés de 6 foram 8 pontos na horizontal , formando um T e uma cicatriz de uns 8 cm. O que eu estranhei e agora mais do que nunca tenho a certeza de que coração de mãe não se engana, é que eu vi os fios com os ganchinhos no raio x, mas no bracinho do Nícolas não consegui perceber as pontas(ganchinhos) dos tais fios.
O Nícolas ficou bem assustado ao perceber aqueles vários pontinhos pretos no braço e eu mais do que depressa falei "filho...olha que linda as perninhas da centopéia" e ele mais depressa ainda perguntou pela cabeça da penpopeia...mas deixa prá lá.
Quando o médico apareceu na sala de curativos, ficou olhando, olhando, olhando e eu muito desconfiada perguntei pelo tais ganchinhos e ele me disse que devido ao inchaço do braço, ele "entraram" - conforme o braço inchou, eles foram "cobertos" pelo tecido e que agora, talvez o Nícolas seja submetido à outra cirurgia a não ser que o seu organismo expulse os ganchinhos ( o que nós estamos na esperança que aconteça) e assim ele possa pinçá-los e retirá-los.
Na com os olhos cheios de água e uma dor enorme no peito só de pensar em outra cirurgia.
Foi feito outro curativo, colocamos novo gesso e terça retornaremos...
Quando cheguei em casa, chorei muito, mas depois pensei melhor e estou acreditando que nada é por acaso e que talvez essa cirurgia, se necessária, seja melhor para ele, assim tenho a certeza de que não haverá o risco da dor.
Estou mais tranquila até porque precisamos estar muito calmos para que o Nícolas não perceba que nem tudo foi tão bom como imaginavamos.
Agradeço de coração aos recadinhos recebidos e a paciência de vocês.
Beijoks!!!

domingo, 21 de novembro de 2010

Da queda à cirurgia.

Assim que chegamos
Mais conformado e com o amigo Júlio.

Prepardo para a cirurgia
Depois de algumas horas da cirurgia
Após a cirurgia e tomando um pouquinho de suco
Já estava cansado desse bendito varal.
Mas nada como quatro mãozinhas juntas.
Se preparando para voltar para casa

Os pais mortos e o filho querendo ir logo embora.

Na sexta feira enquanto eu terminava de arrumar e organizar a casa, o Nícolas e o pai foram brincar no SESC ( o que já virou rotina na vida dos dois). Depois de quase duas hora, o Marcelo me liga dizendo que o Nícolas havia caído de um brinquedo e eu logo imagino ...quebrou os dentes, abriu a cabeça ou qualquer coisa assim, mas o papai me tranquilizou dizendo que foi uma queda leve do 1º degrau da escada no escorregador e que ele havia machucado o braço. Pronto, larguei a casa no final da faxina, peguei o carro e quando lá cheguei está o pai mais triste que o filho e fomos até o hospital.Sempre o levo até o Pronto Socorro, mas naquele dia, optamos por levá-lo ao Hospital e consultarmos um ortopedista.
Pensei... agora vai colocar um belo de um gesso rsrsr.
Quando o médico olhou o braço esquerdo do meu filho, já disse "ele quebrou o braço" e eu com cara de espanto pergunto COMO? Mãe é só você observar que o bracinho dele está torto - realmente havia criado uma "barriga", Fomos fazer o Raio-X, mas algo me dizia que a notícia não seria muito boa, pois o médico começou a se movimentar. Quando saímos do Raio X, veio a notícia..Mãe ele quebrou o Rádio muito próximo ao pulso e o caso é cirúrgico. Me bateu um desespero e não contive as lágrimas, e o médico continuou então vamos operá-lo amanhã as 8:00 tudo bem???
Tudo bem, como tudo bem, não havia entendido nada, então com muita calma ele me explicou que nesses casos, quando há uma quebra e o osso se desloca é necessária a cirurgia ou uma "manobra" para colocar o osso no lugar. Ele disse que tentaria a manobra, mas que não acreditava no sucesso, pois ele só quebrou um dos ossos (quando se quebra os dois, por incrível que pareça é mais fácil). Então sem ter muitas escolhas internamos o pequeno e ligamos para o nosso sobrinho pedindo uma outra avaliação. Nosso amado Tarcísio chegou junto com a Pri, logo localizou um amigo que é chefe no setor de ortopedia de um outro hospital e eles me tranquilizaram dizendo que seria uma cirurgia bem simples, lógico que sabemos que existe riscos, mas pequenos.
Colocaram uma tala no pequeno e o internamos.
No sábado às 08:00 vieram buscar o meu filho, me senti impotente e pensando no que poderia acontecer, sempre com muita fé e pedindo a Deus que o protegesse, mas foi muito difícil...
Resumindo a cirurgia que deveria durar cerca de 30 minutos, durou 1h e meia e o meu pequeno ganhou dois fios no braço esquerdo, além que uma bela luva que ficará como companhia.
Assim que ele saiu do Centro Cirúrgico, pude ficar com ele, mas foi uma das cenas mais difíceis que presenciei (entreguei meu filho sorridente, acordado e acreditando que aquela camisola azul era a mais linda do mundo e o encontrei dormindo com os olhos entreabertos, babando e muito pálido), tentei ficar calma, mas chorei muito, então os médicos me explicaram que esse quadro era previsto e ele estava assim por conta da anestesia geral que ele havia tomado, mas que a cirurgia havia sido bem sucedida sem nenhum imprevisto e que infelizmente não conseguiram fazer a manobra desejada, então fizeram uma incisão . Além de tudo o Nícolas já terá uma cicatriz aos 2 anos e 7 meses (completados hoje). Não me incomodo com a marca, mas é difícil...
Passamos o dia por lá, aconteceram alguns imprevistos, mas acho que ainda não consigo falar e acabamos de ter alta e estamos em casa, eu e o pai "acabados" e ele todo feliz com o gesso e a tipóia. Na terça iremos até a clínica da equipe médica e faremos uma nova avaliação.
Por enquanto tudo dentro no normal, mas o médico já avisou que escola só no próximo ano e é incrível que o pequeno amou a notícia e falava a todo momento Escola, não só em casa com mamãe e papai.
Bem por enquanto é só!!!!!!

sábado, 13 de novembro de 2010

Tudo bem novamente....


Bem esses últimos dias foram de enorme aprendizado, com a doença e a melhora do Nícolas e depois com a doença da minha mãe, que ficou internada por conta de uma enxaqueca terrível, mas que agora também está bem, posso dizer que sobrevivi e aproveitei para pensar mais nas minhas atiudes e montar um plano de sobrevivência rsrsr.
O Nícolas tem se tratado com homeopatia e por enquanto tudo certo - dou as bolinhas e gotinhas no mesmo horário e ele até já pede.
A casa agora tem estado mais organizada, pois todos os dias tenho feito um pouquinho e antes de dormir faço uma geral, colocando tudo no seu devido lugar -ainda estou em fase de adaptação, mas acho que já tem dado resultado.
E eu??? Estou pronta para mais um desafio e tentando aprender com o que a vida tem para ensinar...
Agradeço de coração todos os carinhos recebidos e podem ter a certeza de que esses recadinhos me motivaram muito e pude perceber que no mundo das Mães somos muito parecidas e encontramos as mesma dificuldades...

segunda-feira, 1 de novembro de 2010

Dias melhores virão!!!



Estou precisando acreditar nessa frase para ver se tudo melhora.O Nícolas está doente desde quarta-feira. Na quinta o levei ao Pronto Socorro e pela 1ª vez ele ficou no repouso tomando soro (e eu fiquei ao lado dele desesperada, sem saber se o que estava fazendo era correto ou não), na sexta o levei ao pediatra e a história se repetiu - garganta inflamada e 5 injeções de antibiótico, já que via oral, o pequeno não aceita e vomita tudo), novamente surgiu a dúvida em aplicar as injeções ou não e optamos por aplicá-las, mas já procurei um homeopata e vou começar o tratamento, pois decidi que não quero mais fazer o meu filho passar por isso. Cada vez que chegamos à farmácia ele chora e repete inúmeras vezes "jeção não, memédio de boca, nenê toma!!!" ou então "tio teio (feio), jeção nenê não". Estamos no quarto dia e parece que falta uma eternidade.
O feriado está chegando ao fim e parece que trabalhei todos esses dias como se não houvesse parado nem para comer; a casa vive de pernas para o ar, não dou conta de tudo e me sinto muito incapaz por isso, as roupas parecem que germinam no cesto de lavar e brotam no de passar, as vezes acho que temos mais roupas do que precisamos ou que qualquer dia não teremos uma peça passada para vestirmos, tento me organizar, mas confesso que nunca consigo.
Para piorar a situação, as vezes não tenho vontade de fazer nada e o Nícolas está numa fase de birras e teimosias, chora por tudo, pede tudo e não finaliza nada, antes de realizar o último desejo já está chorando pelo próximo. Tenho me sentido muito angustiada, mas sei que não posso desanimar.
E para finalizar, amanhã é um dia muito triste, pois me lembro muito e ainda sofro bastante pela partida do meu pai, parece que não passa nunca e ainda me entristeço muito com tudo isso. Mas tenho a esperança e a certeza de que tudo vai passar bem rapidinho e que logo logo estaremos novinhos para superarmos outra dificuldade, pois ser mãe é não desistir nunca!!!