segunda-feira, 25 de outubro de 2010

Um mascote para chamar de meu!!!!


A escolinha lançou um projeto que eu achei bárbaro, trata-se da escolha e confecção de um mascote, que no caso da turminha do Nícolas foi de um cachorro. A professora confeccionou e os alunos encheram de manta acrílica, ou melhor, deram vida ao mascote. O mascote vai para casa de cada aluno e lá permanece por um dia e todas as observações são anotadas num diário pelos pais, para que as informações sejam divulgadas para os amiguinhos no dia seguinte.
Na quinta-feira foi o dia do Nícolas trazer o cachorro Au-au, isso mesmo, Au-au era o seu nome (que foi escolhido por unanimidade pela turminha) e eu muito insensível demorei um bom tempo para entender que Au-au era o nome do bichinho.
Bem, o Au-au ficou conosco desde quinta até ontem e foi maravilhoso...o Nícolas ficou apaixonado e eu expliquei que ele deveria tratá-lo com amor, carinho e respeito, dar comida e água, e o pequeno levou tudo ao pé da letra. Ligou para a minha mãe e pediu ração (minha mãe tem uma boxer, chamada Costelinha), quando a comida chegou foi uma farra, até que o Nícolas provou da ração e quando eu tirei da boca dele foi um escândalo, então expliquei que ração é só para animais...depois de muito choro ele entendeu. Todos que aqui chegavam, já eram logo apresentados para o Au-au tornou-se membro da família rsrsr).
O cachorro foi para todo lado e só não tomou banho, porque eu consegui salvá-lo a tempo. De tanto apertar e agarrar o coitado a orelha esquerda acabou caindo, aí entrou em ação a mãe-enfermeira, expliquei que a orelha tinha caído, portanto o Au-au precisava de cuidados médicos e que eu iria costurá-la, enquanto eu costurava, o pequeno fazia carinho no bichinho e dizia para ele não chorar (foi uma graça!!!!) e quando terminei o Au-au ganhou até band-aid.
A única dificuldade foi em fazer aceitá-lo que o Au-au seria devolvido, ele chorou muito e só consegui enfiá-lo no saquinho, quando o Nícolas adormeceu.
Foi uma experiência incrível, adoramos e eu tive a oportunidade de reviver a minha infância, pois quando pequena, meus pais tinham comércio e nós morávamos na parte de cima, então todos os bichos abandonado que por lá apareciam, nós adotavamos (sempre fui criada com bichos), mas na maioria das vezes, eles morriam atropelados, então sofriamos muito, mas meus pais sempre deixaram que eu e a minha irmã tivessemos bichos: gatos, cachorros e até um gambá....
Acho muito importante a convivência com animais e quem sabe o Nícolas ganha um bichinho também.

Nenhum comentário: